Sossô Dorothy

Escrevi um texto imenso pra essa festa, falei sobre os detalhes, sobre o carinho da mãe linda que preparou a festa.

Falei muito sobre a Sossô, essa garotinha linda e inteligente que verão nas fotos.
E tanto escrevi que no final apaguei tudo.
Afinal, a quem tento enganar dizendo que gostei da festa por causa dos detalhes, dos brilhos, do colorido do tema? É tudo mentira, confesso.
Tenho esse álbum aqui no estúdio porque me identifiquei com as pessoas.
Me identifiquei porque me vi ali, naquelas pessoas. Uma família linda e comum. Família cheia de problemas e de soluções.
Uma mãe que é só amor e emoção. Ai, e como essa mãe choraaaaaaa… como ela amaaaaaa. Tudo pra Tathy é extremo.
Ah, e a Sossô. A Sophia é a Tatá pequena.
A Tatá, a minha Tatá, a aborrescente que mora aqui em casa. A criatura que veio de sei lá onde, sei lá por que motivo e invadiu nossa vida como um furacão desses que destróem tudo o que você pensa pra resonstruir de uma forma mais bonita.
Sossô ganhou pra usar na festa uma sapatilha linda, brilhante, o sonho de qualquer menina. E viu que com ela não dava pra chutar bola direito. Não pensou duas vezes, trocou por uma chuteira. E lá ficou ela durante a festa, com roupinha de menina e chuteira… de menina, claro.
Tatá quando pequena fazia capoeira. Eu queria que fizesse ballet. Tentei jazz, pelo menos era dança. Mas Tatá, decidida, só queria capoeira. E assim cresceu, entre uma estrela e um “paranauê”, seja lá o que isso for.
Sophia escolhe o tema de suas festas. Ao invés dos filmes da moda ela prefere os filmes antigos, filmes que assiste grudadinha com a mãe. E antes da festa elas pesquisam tudo a respeito. Juntas, sempre juntas.
Tatá se recusa a gostar de Justin Bieber, ela gosta mesmo é de Caetano. Ah, se pudesse ela casaria com Caetano. A cada dia ela me apresenta novos cantores que passo a gostar. E que se dane se os amigos gostam de outras coisas, ela não precisa ser como os amigos para estar com eles.
Sophia, com tão pouca idade, quer vender brigadeiro na escola pra ir pra Disney. Ela pensou em montar uma “empresa”, quer que seus brigadeiros sejam os mais gostosos e mais lindos, pensa nas embalagens, faz contas pra saber quantos brigadeiros precisará vender para realizar seu sonho.
Na escola ela quer lutar pelos seus direitos, é questionadora, participativa…
Tatá não gosta da escola. Ela está naquela fase chata de estudar para o vestibular. Ela sabe que boa parte daquelas matérias não serão usadas depois e nos questiona sobre isso todo dia. E eu queria poder dizer que concordo com ela, que acho nosso sistema educacional horrível, mas tenho que ficar quieta porque ela está crescendo e precisa passar em um vestibular, é a vida.
Tatá decidiu recentemente que quer ser atriz.
Ah, ela será…
Assim como Sophia, elas serão o que quiserem ser porque por mais que a vida exista aí com os dias passando e as obrigando a crescer elas preservam a capacidade de sonhar.
Esse post é sobre a festa de uma garotinha linda mas, mais do que isso, é um pouco sobre a minha garotinha que está crescendo.
Sophia me faz lembrar, reviver, me faz pensar Tatá. E Tatá me faz pensar em como crescerá Sophia.
Ficha Técnica:
Produção: Estúdio Tata Carvalho em parceria com a Maria Flor
Montagem da Mesa e Ambientação do Espaço: Vivian (Maria Flor)
Lembrancinhas {maletinhas e caixinhas de acrílico}, Personagens em Biscuit, Lenços Personalizados, Tags Comidinhas, Pipocas coloridas nas caixinhas e nos cones de papel rendado, Bastidores bordados, Chapéu personalizado para as crianças, Placa da idade com botões, Lousa e porta giz e os Pingentes das cortinas: Estúdio Tata Carvalho
Bolo, doces e maçãs de chocolate personalizados: Delicinhas Doces
Voltar ao início Entre em contato Envie para um amigo Tweet this Post Receba o blog por e-mail
UA-136012426-1